Contagem da janela de um táxi: conheça Dircio Coelho, um “Motorista Cidadão”

Das ruas estreitas de bairros aos grandes corredores e rodovias que cortam a cidade, o trânsito de Contagem pela lente de quem sabe tudo.

O táxi como uma extensão de sua casa – é assim que a maioria dos taxistas enxergam sua ferramenta de trabalho. Com o Dircio Coelho não é diferente. Na praça há vários anos, ele preserva o ar tranquilo de quem já viveu muita coisa pelas ruas de Contagem.

O taxista é um das centenas de voluntários que dão voz ao programa Mobilidade Cidadã, quem tem buscado diálogo com todos os componentes que fazem o trânsito de Contagem acontecer: motoristas, motociclistas, motoristas de vans, caminhoneiros, usuários de transporte público e pedestres.

Perguntado sobre o que pensa do atual cenário do trânsito na cidade, seu Dircio elenca lacunas que precisam ser melhoradas, como os gargalos em horários de pico nas vias arteriais e nas rodovias federais que passam pela cidade, e demonstra preocupação com o transporte público. “Eu gostaria que melhorasse mais um pouquinho os ônibus, o metrô”, enfatiza.

Com quase 700 mil habitantes, Contagem é hoje a terceira maior cidade de Minas, configurando-se como acesso importante ao Sul e ao Centro-Oeste brasileiros por meios de rodovias federais que a cortam. O taxista usa sua experiência de décadas para propor adequações que podem fazer a diferença no tráfego. “Trabalho de táxi o dia inteiro, ando todos os bairros. Quando acontece algum acidente na BR, a cidade trava todinha. Para melhorar o trânsito, precisamos de mão única em algumas ruas. Tem bairro que você vai e fica preso no trânsito, porque estacionam carro de um lado e do outro. Aí fica difícil”, pondera o condutor.

Para Coelho, investir em transporte público é a chave para que se tenha um tráfego menos carregado. Ele acredita que a modernização e a melhoria dos serviços públicos não gera concorrência, pois existe espaço para todos.

O condutor ainda faz questão de ressaltar que espera um dia poder ter um sistema interligado de transportes na região metropolitana. “O percurso que os ônibus e o metrô fazem é muito pequeno, eu queria que chegassem em Betim, Esmeraldas, Confins. Aí já melhorava bastante”, observa ele.

Assim como o seu Dircio, motoristas, motociclistas, pedestres e usuários do transporte público estão sendo convidados, por meio de uma equipe de mobilização telefônica, para participar de forma voluntária do programa que pretende conhecer a percepção dos cidadãos e buscar soluções para um trânsito mais humano e seguro.

Saiba mais e acompanhe os resultados do programa Mobilidade Cidadã no site http://transcon.contagem.mg.gov.br ou ligue pra nossa central de atendimento: (31) 3329-3390. A Transcon agradece a sua participação.

Gosta deste artigo?

Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Compartilhar

Deixe um comentário